Welcome* Bem-Vindo * Kirzeer * Benvenuto * Bienvenue * Willkommen * Välkomnande * Nрием * 歓迎 * Selam * 欢 * Witajcie *

10 de set de 2007

|Entrada| Bilheteria |Saída|

Será que quando eu morrer e estiver pra entrar no céu, Deus vai me cobrar entrada inteira? Se eu morrer agora, antes de terminar minha faculdade, minha pós e tal, acho que ele cobra meia porque eu sou estudante.
Mas mesmo que eu pagasse inteira, ia valer a pena, sabe como é. Porque Ele não ia querer dinheiro nem nada... e se quisesse eu não ia ter pra pagar.

Mas se eu for pro inferno, o cara lá vai cobrar inteira... minha alma inteira. Tipo que nem o pessoal do Brasil faz.
Então, logo, os governantes são o demo?
Só pode ser.

Por que aonde já se viu cobrar R$ 130 para assistir um show na pista com um monte de gente suada, fedida e chapada? Ou 300 para ficar sentadinho numa cadeira, bem longe e bem limpinho do show... e não se divertir nem uma gota(de suor... eca!)???
Tá, você já se submete a tanto e aí... ops, acabou o ingresso e você, mesmo que seja um estudante pobre, fedorento, fracassado e burro, vai ter que pagar INTEIRA... que custa o DOBRO. Mas como ninguém liga pro Brasil, a sua banda predileta (ou uma das e se for uma das você f... com seu bolso) vem tipo de vez em nunca. Mas aí, 657581468746386387562965 anos de espera, ela vem e o ingresso custa um preço absurdo para os padrões daqui.

Então, só vendendo a alma mesmo pra poder se divertir um pouco.

Lá no show, a música tá tão alta... (e quando você sai fica com aquele piiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii
no ouvido, além de um cheirinho de maconha e outros cheiros que não pertencem a você... ou pertencem)
que você não pode escutar
o brrrrrrrrrrrrrrrr dos mendigos com frio,
o tic tac do relógio fazendo as horas passarem e nenhuma esperança voltar,
o tsc tsc de hipócritas nojentos,
o béeeeeeeee do inferno do trânsito,
o bump, ploft da violência, da polícia, dos bandidos,
o splash do governo escorregando,
e nem o tum tum do seu coração.

Mas saindo dali, mesmo que você seja surdo, você pode sentir.
E quem vai querer isso???????

Então, por isso eu faço uma campanha a favor de quem não liga pra porra nenhuma do que acontece fora do seu universo.

Ticket master e afins , deixem o mundo melhor, abaixe o preço dos seus ingressos!!!
Porque se nós jovens não tivermos nosso pão e circo a preço de banana, vamos ter que sair por aí revolucionando ali, reformando acolá.
Afinal, o que de mais interessante vamos ter pra fazer?


Sabe, o governo tem que interferir nesse lance. Antes que seja meio tarde e sejam eles que vão vender a alma pro demo... se já não venderam, né...

******************************* ** ** **
******************************* ** ** ** *************************
Antes, uma entrada para um show de rock internacional, por exemplo, custava 70 reais a inteira e 35 a meia na pista. Na cadeira, 50 inteira e camarote 100 inteira.
Que eu saiba, há 4 anos atrás o salário e as condições de vida não obtiveram uma mudança significativa maior que 10%.
Então por que os preços não só do entretenimento como peças de teatro, shows e cinema se elevaram como de alimentos, etc? Exceto salários? Até o dólar abaixou.
Estudantes pagam meia... e por que isso? Porque não ter um preço baixo para todos? Todos são iguais, estudantes, estágiários, aposentados, advogados, faxineiros, jornalistas, professores, dentistas trabalham que nem 'cavalo' e não têm o mesmo direito de se divertir?
Até parece que um estudante da Faap é mais pobre do que um camelô. Mas o primeiro paga meia. E mesmo assim os preços estão abusivos... E mesmo assim existem trouxas como eu que pagam... Mesmo assim.

5 de set de 2007

dar nome aos bois

Legal... Meu Blog antigo deu pau... não consigo acessar com meu usuário...
Então fiz outro...


E até acho que esse nome é melhor do que Histherica...
Tá certo que eu copiei o nome da comunidade que minha amiga criou para mim... mas foi um dos melhores.
Sabe, é dificil escolher nome pra coisas. Tem a revista lá da minha faculdade que só por causa do nome estamos emperrados há umas três semanas... Tipo é só um nome...! ...?
Na... é um cartão de visitas, uma identidade sua...
Fala aí... sem ser Érica qual outro nome faria jus a minha personalidade?


Você tem cara de Laura...
Ah, é mal de Eduardo mesmo...
Toda Isadora é chata...

e coisas do tipo...

A gente tem uma mania de dar nome a tudo... até ao que não conhece... e o que não tem nome... perde credibilidade.

Qual o nome disso?
Não tem.
Não tem??????? Como assim????

Temos que dar nomes aos bois, sempre. Um nome estranho, esquisito, incomum... para julgar, zuar, tirar sarro. Um nome para mostrar, explicar, criticar. Um nome para chamar, identificar, significar, lembrar.
Sem nome a gente não é nada no mundo. Até o tal Zé Ninguém é mais um número que nem soma, nem subtrai no cenário medíocre da nossa sociedade.
Alguns nomes são esquecidos, jamais descobertos... outros se sobressaem com elegância ou arrogância.

Qual o nome dele? - pergunta ela curiosa.
Gabriel.
Ham... G-A-B-R-I-E-L...! - diz ela toda sonhadora.


A gente bem que podia viver naquelas anarquias, sem RG, sem nome, numa bagunça harmonizada... e ser mais do que um nome gravado numa lápide.
Blog Widget by LinkWithin